24 junho 2017

Colectivo Feminista apresenta: «The Unwanted Url» (a hiperligação indesejada)

"Existem 66 milhões de buscas por dia para pornografia através de motores de busca. Por outro lado, a busca de informações sobre a exploração sexual de mulheres é quase inexistente."

Triangulação do círculo

Fivela de cinto, em latão, com vulva em relevo.
Junta-se a outras fivelas de cinto na minha colecção.


A colecção de arte erótica «a funda São» tem:
> 1.900 livros das temáticas do erotismo e da sexualidade, desde o ano de 1664 até aos nossos dias;
> 4.000 objectos diversos (quadros a óleo e acrílico, desenhos originais, gravuras, jogos, mecanismos e segredos, brinquedos, publicidade, artesanato, peças de design, selos, moedas, postais, calendários, antiguidades, estatuetas em diversos materiais e de diversas proveniências, etc.);
> muitas ideias para actividades complementares, loja e merchandising...

... procura parceiro [M/F]

Quem quiser investir neste projecto, pode contactar-me.

Visita a página da colecção no Facebook (e, já agora, também a minha página pessoal)

Diferenças nas proporções - um estudo do meu amigo Bernard Perroud


Une lesson de mon ami Bernard Perroud

23 junho 2017

Tommy Cash - «Surf»

Eva portuguesa - «O Algarvio»

Chegou com rosas numa mão e peixe fresco na outra. Na boca tinha elogios e uma vontade enorme de me provar. E sabia fazê-lo. Entre a humildade de alguém que não sabe o próprio valor e a excitação de ter "a mulher mais perfeita que alguma vez vira", fez-me sentir linda, desejada, merecedora e digna. Deu-me respeito,de alguma forma amor, e prazer... tanto prazer! Fez-me ver-me pelos seus olhos simples e encantados, como o ser humano e a mulher linda e de valor que eu sou. Através do seu encanto, fez com que eu me tornasse a encantar por mim. Este homem do mar, que veio de tão longe para estar comigo, encheu-me de mimos, beijos, toques, palavras doces, agrados e convites. Deu-me um pouco dele e levou tanto de mim! Teve literalmente prazer ao sentir o meu prazer na sua boca. Tremeu com os meus gemidos. Sussurrou ao ritmo das minhas ancas, Dançou pelo compasso do meu sexo, E só terminou depois de me ver satisfeita e esgotada, completa e preenchida, não só sexualmente mas também emocionalmente. Este homem maravilhoso esgotou-me e deu-me alento ao mesmo tempo, aumentando as minhas defesas, tornando-me mais forte e segura.
E, assim como a sua lembrança, as rosas que me ofereceu continuam vivas...
Meu querido Algarvio, quando puderes, aqui estarei à tua espera. Obrigada por tudo...


Eva
blog Eva portuguesa - porque o prazer não é pecado

#pimentanocudosoutrosparamimérefresco - Ruim

Apanhar um desgosto amoroso de um grande amigo é das coisas... mais... FIXES! FAN-TÁS-TI-CO! Por favor, sirvam-me desgostos amorosos alheios e temperem-nos com as vossas lágrimas salgadas de coração despedaçado *nham nham nham*. E porquê? Porque é ele que está na merda e não eu! Para quem está de fora, aquilo é uma palhaçada como é óbvio. Nenhum desgosto amoroso é tão grave como o pintam. NENHUM! "Ai eu amava-a tanto, puto.. e agora.." e agora ela está a ser encavada por outro, "puto"! Esta é a dura realidade que não lhe podemos dizer, mas que todos pensamos (e sabemos). "Puto, vais esquecê-la... dá tempo..." e ele "MAS ESQUECÊ-LA COMO, PUTO? ERA ELA, ENTENDES? ERA ELA, A "TAL"!" e um gajo com uma vontade de se rir na cara daquele paspalho. Pois, a "Tal" já deve estar com outro enTalado por esta hora. Esquece. Game Over. Não sejas conas. Mas dá um gozo do c#ralho, não dá? Tadinho do cucudilo que ficou solteiro.
- "Puto, caga nisso. Vai tomar banho, veste uma farpela e vamos perder a cabeça hoje à noite os dois. CALMA, NÃO NOS VAMOS COMER! Vamos sair!" - digo.
E quando ele está a escolher roupa, dá de caras com uma camisa e diz: "Esta camisa *sniff* foi... ela... *sniff* QUE ME DEU! PAAAAAAAAAULA, AMOOO-TE!". A "Paula" está com a boca cheia de pauLO. MAS NÃO LHE PODEMOS DIZER, NÃO É? Temos todos de fingir que a Paulinha fechou-se em casa a fazer festinhas a gatos enquanto pensa no seu grande ex-amor. Tá bem, abelha!
Isto é aos outros que é muito engraçado. Quando é a mim, a coisa é grave.

Ruim
no facebook

22 junho 2017

E se a vagina fosse uma pessoa?

É falta!

"O natal é quando o homem quiser... mas dia de coito é sempre quando a mulher lhe apetecer!"
SodaCaustica‏
@brunoloriga

Então e predispô-la para isso? Uma trabalheira, não é?

Sharkinho
@sharkinho no Twitter

Casal com os azeites

Lucerna em barro vermelho, réplica de uma lucerna do império romano, comprada no Museu de Conímbriga, em Condeixa.
Junta-se a outras peças de valor histórico, na minha colecção.






A colecção de arte erótica «a funda São» tem:
> 1.900 livros das temáticas do erotismo e da sexualidade, desde o ano de 1664 até aos nossos dias;
> 4.000 objectos diversos (quadros a óleo e acrílico, desenhos originais, gravuras, jogos, mecanismos e segredos, brinquedos, publicidade, artesanato, peças de design, selos, moedas, postais, calendários, antiguidades, estatuetas em diversos materiais e de diversas proveniências, etc.);
> muitas ideias para actividades complementares, loja e merchandising...

... procura parceiro [M/F]

Quem quiser investir neste projecto, pode contactar-me.

Visita a página da colecção no Facebook (e, já agora, também a minha página pessoal)

«Homem-Legenda – Reunião» - Adão Iturrusgarai


21 junho 2017

«Desafio A Cappella do Delírio» - Puro êxtase

Com Daniele Castilho

Amor bandido

Acordei com o frio da janela aberta. Ao meu lado, um bilhete: "não sei como o fizeste mas volto mais tarde".
Foi apenas a razão a ser diminuída per uma força que junta duas almas, corpos e sorrisos.
Fechei a janela e olhei para o céu, cinzento, sorri. Questionei-me se merecia estar ali com o teu cheiro nos lençóis... No teu espaço, onde tu és tu e andas sempre bem. Ali estava eu a invadir o teu espaço porque quando uma alma sai do seu corpo e vive uns momentos com outro, entendendo-o, as forças do Universo param. 
Chegas e sorris, ao som de um jazz, dançamos, sorrimos e depois... 
Depois levas-me ao aeroporto onde vou voar e contar a cada nuvem que tenho em mim um bocadinho de ti. 




O desejo de seres apalpado


20 junho 2017

Danish Cancer Society - «Boozed-up Speed Dating» (namoro rápido puxado a álcool)

Bom apetite!

Eis-me aqui acompanhada de boa fruta.
Olhem a minha cara de aborrecida. Por que será?
Bom apetite!

A.


Visita o blog [ Fotografia.e.Algo.Mais ]

Postalinho das sete saias

"Nazarena a auto-promover-se na Feira sem Regras de Santa Clara, Coimbra."
Paulo M.


Mulher que levanta a saia e mostra o rabiosque

Jarro de vinho em faiança pintada e vidrada, assinada por Incy.
Uma maravilha proveniente de França para a minha colecção.




















A colecção de arte erótica «a funda São» tem:
> 1.900 livros das temáticas do erotismo e da sexualidade, desde o ano de 1664 até aos nossos dias;
> 4.000 objectos diversos (quadros a óleo e acrílico, desenhos originais, gravuras, jogos, mecanismos e segredos, brinquedos, publicidade, artesanato, peças de design, selos, moedas, postais, calendários, antiguidades, estatuetas em diversos materiais e de diversas proveniências, etc.);
> muitas ideias para actividades complementares, loja e merchandising...

... procura parceiro [M/F]

Quem quiser investir neste projecto, pode contactar-me.

Visita a página da colecção no Facebook (e, já agora, também a minha página pessoal)

19 junho 2017

Senseo - «Como tomar café em paz»

Pau Brasil


Esclarecimento da Chama a Mamãe!:
"Parece mais com o Pau Pretinho (Cenostigma tocantinum),pertencente à família Fabaceae, possui relatos de ocorrência natural em toda a Região Amazônica e em vias públicas de Manaus e Belém. É uma árvore de porte mediano (10 m de altura), podendo chegar aos 20 m. Seu tronco, tortuoso e provido de caneluras longitudinais, chama à atenção e se confunde com o tronco de acariquara e carapanaúba."

«Tutorial de como conquistar um homem ou uma mulher» - Cláudia de Marchi

... Tutorial de como conquistar um homem ou uma mulher.

................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................ FIM.

Gente, vocês acham que eu vou mesmo escrever ou falar sobre isso? Pra começar: vocês acham que “conquistar” alguém é um problema? Então, vocês precisam de terapia ou de um curso intensivo de como ser agradável.
Conquistar é fácil, baby! Agrados, flores, presentes, oral bem feito, afeto, papo cabeça, planos, muito sexo apaixonado e etc.. O difícil mesmo é manter a conquista, é, uma vez tendo o apreço do outro, envidar esforços para mantê-lo. E obter êxito, obviamente.
E, sobre isso não falarei, pois um dos fatores que me fizeram querer mudar RADICALMENTE de vida é a tendência lamentável do ser humano em não saber manter o encanto da conquista. A tendência a se acomodar, dormir de meias, fazer por fazer, falar por falar, ouvir por ouvir e fingir por muito, muito tempo em prol da sociedade, dos filhos e da moral e dos bons costumes.
Aquele tedioso dia a dia em que a paixão é golpeada de morte pela falta de empenho e pela perniciosa segurança demasiada. Tem uma canção que diz que “você precisa de alguém que te dê segurança, se não você dança”. Fato é que, num contato inicial a gente precisa sentir “firmeza” no outro, mas, daí a se sentir o ser humano mais “seguro” do mundo, porque ouviu um “eu te amo” e tem uma relação séria já é de imensa ignorância emocional (o oposto da inteligência, enfim).
Relacionamentos precisam de empenho, não só de amor ou admiração. Relacionamentos são construções diárias de afeto, calor e doçura. Onde está o sexo “nisso”? No “calor”. Deixou a relação “destapada” neste quesito, haverá vários cobertores à venda no mercado e outros tantos sendo “doados” em cada esquina.
Não me peçam como conquistar alguém, isso é óbvio, é fácil. Qualquer revista Nova ou livrinho da moda ensinam! Peçam-me como manter a conquista e, então, lhes direi duas coisas: primeiramente lhes digo que isso se faz com dedicação ao relacionamento, em segundo lugar, afirmo-lhes que isso é raro, tão raro que resolvi, humilde e resignadamente, unir o útil ao agradável nesta minha nova profissão. A cereja do bolo da paixão (o sexo) com o lucro razoável (dinheiro).
Sempre fui boa no sexo e facilmente tive os homens com quem me relacionei aos meus pés. Sou quente, gosto de sexo e garanto que faço com meus clientes tão bem quanto fazia com meus namorados, (por isso gosto de “poucos e bons” clientes). Se é que não faço ainda melhor, porque estar sendo paga me dá um tesão desatinado, não nego!
Mas, não nutro mais a ilusão romântica de viver uma paixão intensa e “pra sempre”, justamente pela tendência masculina em se acomodar a partir do momento em que seu objeto de desejo torna-se “seu”. Como um troféu ele (a “amada”, o objeto de desejo) é colocado na estante.
E eu não tenho paciência para estar na estante de ninguém. Eu gosto mesmo é de estar no colo. Todos os dias!
Beijos de luz!

Simone Steffani - acompanhante de alto luxo!

«Multitasking» - Ricky Mujica


18 junho 2017

Caverna Utroba nas montanhas Rhodope, Bulgaria


Caverna Utroba nas montanhas Rhodope, na Bulgária, junto à fronteira com a Turquia. Esculpida à mão há mais de 3000 anos (?), foi redescoberta em 2001.
Os arqueólogos levantam a hipótese de que um altar construído no final da caverna, com cerca de 22 m de profundidade, representa o colo do útero ou o útero.
Ao meio dia, a luz penetra no templo através de uma abertura no tecto, projectando uma imagem de um falo no chão.
Quando o sol está no ângulo certo, no final de Fevereiro ou início de Março, o falo cresce mais e atinge o altar, fertilizando simbolicamente o útero antes da semeadura das culturas de primavera.

Fonte: Mon ami Bernard Perroud

«coisas que fascinam (202)» - bagaço amarelo

Se uma mulher nos diz que gostava de fugir connosco para um sítio qualquer, está a fazer-nos uma declaração de Amor. Não por causa da intenção de fugir, mas sim por causa do sítio qualquer. As mulheres têm uma enorme vontade de fugir do sítio onde estão, mas nunca fogem. Os homens preferem ficar, mas às vezes fogem. Só que não é para um sítio qualquer.
Ela descasca uma laranja e diz-me que aquela parte branca, entre a casca e os gomos, é a melhor. Faz bem a tudo, insiste. Eu acabei de abrir uma cerveja e, tendo a garrafa na mão direita, brinco com a carica na mão esquerda. Não sei muito bem a que é a cerveja me faz bem. A não ser, talvez, à alma. Na verdade nunca penso no benefícios dos alimentos que ingiro. Limito-me a ingeri-los e pronto.

- Repete lá isso que disseste. - peço.
- A parte branca da laranja é a melhor...
- Não, não. Antes disso.
- Fugia contigo para um sítio qualquer...
- E que sítio qualquer é esse?

Ela abana os ombros. Por um momento tenho o desejo absurdo de que a minha cerveja nunca mais acabe nem a parte branca da laranja dela. Podíamos ficar aqui os dois, na varanda da casa dela, a olhar para a estrada em silêncio como se esperássemos alguma coisa. Mesmo sem esperar nada, digo.
A primeira linha que um homem e uma mulher podem atravessar juntos não é a do sexo. É a das palavras. Quando aquilo que dizem um ao outro não é óbvio nem claro, mas sim um pântano do qual ambos teimam não abandonar.
A laranja acabou. A cerveja também. Ela é a primeira a levantar-se do sítio qualquer onde nos refugiámos durante alguns minutos. Tem os longos cabelos negros amarrados atrás das costas e põe as cascas no caixote do lixo com a mesma delicadeza de quem guarda um objecto precioso.

- Queres outra cerveja?
- Não, obrigado... - respondo.
- Eu também não quero outra laranja.

É estranho apaixonarmo-nos por uma mulher durante apenas uns minutos, mas é mais estranho percebermos que uma paixão pode durar apenas isso mesmo. O tempo de falarmos um com o outro apenas para sacudirmos a solidão do tempo. Desse tempo nesse lugar qualquer.


bagaço amarelo
Blog «Não compreendo as mulheres»

Postalinho com etiqueta


Bem visto!

As mulheres não se vestem para agradar aos homens mas para se agradarem a si próprias. Se fosse para agradar aos homens andavam sempre nuas.

Patife
@FF_Patife no Twitter

17 junho 2017

O milagre



Roland Topor (França, 1938-1997), 1973

Via mon ami Bernard Perroud

Com um simples vestido preto eu nunca me comprometo


Senhor Banana

Banana exibicionista… que é uma rolha de garrafa.
Uma brincadeira a juntar-se a muitas outras na minha colecção.










A colecção de arte erótica «a funda São» tem:
> 1.900 livros das temáticas do erotismo e da sexualidade, desde o ano de 1664 até aos nossos dias;
> 4.000 objectos diversos (quadros a óleo e acrílico, desenhos originais, gravuras, jogos, mecanismos e segredos, brinquedos, publicidade, artesanato, peças de design, selos, moedas, postais, calendários, antiguidades, estatuetas em diversos materiais e de diversas proveniências, etc.);
> muitas ideias para actividades complementares, loja e merchandising...

... procura parceiro [M/F]

Quem quiser investir neste projecto, pode contactar-me.

Visita a página da colecção no Facebook (e, já agora, também a minha página pessoal)

"Devia ter sido eu..."

Crica para veres toda a história
Higiene


1 página

16 junho 2017

«Achas que eu pareço um rapaz?»


9 Songs - clip - do you think i look like a boy? por MyMovies_International

Podes...


... ler-me uma história?

Visita o blog [ Fotografia.e.Algo.Mais ]

Luís Gaspar lê «Presente» de Nuno Júdice

Queria neste poema a cor dos teus olhos
e queria em cada verso o som da tua voz:
depois, queria que o poema tivesse a forma
do teu corpo, e que ao contar cada sílaba
os meus dedos encontrassem os teus,
fazendo a soma que acaba no amor.

Queria juntar as palavras como os corpos
se juntam, e obedecer à única sintaxe
que dá um sentido à vida; depois,
repetiria todas as palavras que juntei
até perderem o sentido, nesse confuso
murmúrio em que termina o amor.

E queria que a cor dos teus olhos e o som
da tua voz saíssem dos meus versos,
dando-me a forma do teu corpo; depois,
dir-te-ia que já não é preciso contar
as sílabas nem repetir as palavras do poema,
para saber o que significa o amor.

Então, dar-te-ia o poema de onde saíste,
como a caixa vazia da memória, e levar-te-ia
pela mão, contando os passos do amor.

Nuno Júdice
Nuno Júdice (Mexilhoeira Grande, 29 de Abril de 1949) é um ensaísta, poeta, ficcionista e professor universitário português.
Ouçam este texto na voz d'ouro de Luís Gaspar, no Estúdio Raposa

#menageascompras - Ruim

Recebi um convite de duas gajas para fazer uma cena a três com elas. Mesmo à grande. "Uma delas é a minha irmã!". É o vale tudo com estas.
"Vamos pegar em ti...."
"Sim...e depois?"
"E tu vais esperar com as nossas malas à porta da Mango no Colombo..."
"Uffff... e mais?"
"Depois... uma de nós vai te perguntar qual de dois tops exactamente iguais é que achas mais giro enquanto a outra leva 30 peças para ir vestir ao provador e não comprar nenhuma..."
"Não pares..."
"Três horas nisto... os três!"
"Vocês vão-me f#der todo!"

Ruim
no facebook