27 Agosto 2014

Burger King - «Proud Whopper»

Criação da Burger King especialmente para a San Francisco Gay Pride 2014.

«respostas a perguntas inexistentes (277)» - bagaço amarelo

Não acredito no Amor para sempre. Acredito no Amor durante algum tempo, seja ele mais curto ou mais longo consoante diversas variáveis. A vida pode ser óptima quando finalmente nos apercebemos disso mesmo, ou seja, que o Amor da Disney não existe. O problema que eu tenho é que, apesar de não acreditar no Amor para sempre, desejo-o.
Para quem o deseja mas não acredita nele há várias formas de o prolongar o mais possível. Estou convencido que a melhor de todas é ter vida própria e dar espaço a que a pessoa Amada também a tenha. Vida própria e ciúmes dela, claro.
Os ciúmes não são assim tão maus. Se não se tornarem doentios até são um dos ingredientes obrigatórios do Amor. É por isso que os devemos sentir de vez em quando e, caso já não os sintamos, temos que fazer por isso. A vida própria de ambos é uma boa maneira de o conseguir.
Com vida própria temos sempre alguma coisa para contar à pessoa que Amamos. Onde estivemos, o que fizemos, o que aprendemos e conhecemos. Além disso, também temos sempre alguma coisa nova para ouvir. É uma revelação constante, sendo que essa revelação, logo antes do ciúme, é o principal ingrediente de um Amor longo.


bagaço amarelo
Blog «Não compreendo as mulheres»

A Nu





O lado bom da advocacia (tinha que haver algum)



26 Agosto 2014

A poesia por detrás (ou à canzana)

Ah, a paixão, a paixão dos beijos ardentes, dos abraços apertados e das desculpas esfarrapadas para cônjuges incautos.

Eva portuguesa - «Alimento-me de ti»

Alimento-me de sonhos. De esperança. De promessas. De ilusões e desilusões.
Alimento-me das tuas palavras. Das tuas promessas. Das esperanças que tu me dás.
Vivo imaginando a realidade que tu me descreves; uma realidade nossa, única, protegida, comum, feliz.
Bebo cada pensamento,cada promessa de um encontro, de uma nova vida - a nossa vida! - como uma alma sedenta no meio do deserto.
Rio risos de realidades não vividas. Sonho sonhos de uma vida que não é minha. Gozo orgasmos de um corpo que não é o meu. Chamas-me princesa e perguntas se quero ser tua. Mas alguma vez não o fui?...
E tu, meu querido? Queres ser meu? Só meu?...
E és tu o meu príncipe?...Vais matar o dragão que infecta o meu mundo e salvar-me de uma vida de tormentos?... Vais cumprir as tuas promessas?... Vais tornar real a minha ilusão? Realizar o meu sonho?...
Continuo a alimentar-me de ti... a acreditar, apesar das mentiras, das desilusões, das promessas infundadas...
São também fantasia os sentimentos que dizes ter?... De que te alimentas tu? Putas? Sexo? Engano e desengano?...
Eu alimento-me de fantasia... Alimento-me de ti. Porque mesmo não sendo verdade, é melhor imaginar-te do que não te ter. "O sonho comanda a vida". Verdade esta frase... tão verdade... Não só comanda a vida como alimenta pessoas. Alimenta-me a mim.
Alimento-me do futuro e das memórias felizes do passado. Eles são combustíveis para o fogo que me dá vida. E também a música, sem dúvida que me alimento dela. E o sorriso do meu filho, a visão do paraíso!...
Alimento-me de cada pedacinho de alegria, real ou não. De cada dia de sol. Do barulho da chuva a cair no telhado das casas. Do cheiro da terra molhada. Do aroma do pão acabado de cozer. Do banho relaxante após um dia intenso.
Alimento-me de vida... Alimento-me de ti...


Eva
blog Eva portuguesa - porque o prazer não é pecado

«somos corpos flutuantes» - Susana Duarte

somos corpos flutuantes
nas escarpas
do desejo

corpos desejantes
à escala
de um beijo

somos corpos de antes
na procura
do corpo

desejo de agora
à escala
do amor

somos corpos flutuantes
na aventura
do olhar
inscrito nas veias

à procura
de Ser

Susana Duarte
Blog Terra de Encanto

Sardinha de Lisboa «a noiva» na sua caixa

Sardinha em cerâmica, de Ana Gomes, da Coleção “Sardinha” by Bordallo Pinheiro.
A partir de agora, faz também parte da minha colecção.

Visita a página da colecção no Facebook (e, já agora, também a minha página pessoal)




25 Agosto 2014

«Joya: Hottest ice cream ever» - Nestlé

Postalinho espanhol (5)

"Vejam a forma do Lago La Ercina, dos Lagos de Covadonga (Astúrias).
São ou não são os Piços da Europa?"
Paulo M.



«conversa 2095» - bagaço amarelo




Ela - Estou numa fase boa da minha vida.
Eu - Fico contente em ouvir isso.
Ela - Apercebi-me que os maridos não fazem falta para quase nada e sinto-me bem sozinha.
Eu - Para quase nada?! Então fazem falta para alguma coisa...
Ela - Sim, fazem falta para implicar de vez em quando, mas como tenho um filho adolescente não preciso de mais nada.


bagaço amarelo
Blog «Não compreendo as mulheres»

Você também quer comida com a moça?

Deu fominha?


Capinaremos.com

24 Agosto 2014

As curvas da pista de Spa Francorchamps


Die Kurven in Spa from V12media on Vimeo.

Postalinho espanhol (4)

"Durante uma semana, os Picos da Europa, nas Astúrias, foram os Piços da Europa."
Paulo M.




A gota 69 do oceano


Não sei se consigo escrever esta crónica que estou aqui num frenesi para ir ver a nova loja de chineses que abriu aqui ao pé do estaminé no sítio onde era a frutaria da dona Adosinda e que deve estar cheia de roupinhas e berloques domésticos ao preço da uva mijona. Em abono da verdade eu nem reparo muito nas etiquetas e quando me dá o cheiro a pechinchas para ter mais umas peças novas no armário aconchego-as muito a mim como se dançasse com um gajo a convidá-lo para o acasalamento numa daquelas cenas cinéfilas em que o encosto à parede e alço uma perna aberta até fincar o pé nas suas ancas e o meu baixo ventre na sua genitália. Apalpo o tecido como se fosse a pele do dito e cheiro-as como se absorvesse feromonas do pescoço de um  pessegão apetitoso. É de tal forma enebriante que nem lembro que aquilo é feito e mal pago por resmas de chineses e quejandos que de forma muito zen aceitam a penetração e a desgraça como os tibetanos.

No fundo, sofro do síndroma do sessenta e nove em que os trapinhos me seduzem a engoli-los todos e eles se colam completamente a mim até me humedecerem na perspectiva garota de cativar todos os olhares em redor.


[Foto © DDiarte, 2008, Fashion Crash]

Infância, terra de descobertas



Renan Lima
Dentro da Caveira

23 Agosto 2014

Lourenço Ortigão e Mónica dançam Kizomba na segunda gala de Dança com as Estrelas 2

Bela vida...



Moebius
«Beautiful Life», 2004

Via Bernard Perroud

Lote de 10 selos, 8 dos quais em blocos

Selos de Manama, Antigua & Barbuda, Ajiman, Grenada, República Centroafricana e S. Tomé e Príncipe.
Juntam-se, a partir de agora, aos outros selos que já faziam parte da minha colecção.

Visita a página da colecção no Facebook (e, já agora, também a minha página pessoal)








Postalinho espanhol (3)

"Em Espanha não estão com meias palavras.
Licores de um mercado de rua, em Cangas de Onís, nas Astúrias".
Paulo M.



22 Agosto 2014

Mas convém sempre lavar à mão

Uma coisa que nós homens devemos agradecer ao divino é o facto de nenhum dos nossos tecidos de série encolher com a lavagem.

Pontos de vista

Luís Gaspar lê «As mãos e as mãos» de Orlando da Costa


A polpa secreta
Das tuas mãos
Espero-a inteira
Espero-a inteira
Como frutos à beira
Da fome de alguém
Espero-a inteira
Nesta fome que vem
Só das tuas para as minhas mãos
Minhas mãos geladas
Minhas mãos suadas
Em rebentos de cada esforço
Descarnadas mãos
De que já riu a ferrugem das grades
Minhas mãos abertas para que creias
Mãos suadas e novamente suadas
Mãos capazes de enxertar veias
A polpa secreta
Das tuas mãos
Espero-a inteira inteira

Orlando da Costa
Nascido em Lourenço Marques, no seio de uma família goesa. Apoiou a candidatura de Norton de Matos e foi preso três vezes pela Pide (1950-1953). Da última vez, esteve preso por cinco meses, acusado de militar em defesa da paz. Passou pelo ensino particular até ser proibido de ensinar e trabalhou na publicidade.
Ouçam este texto na voz d'ouro de Luís Gaspar, no Estúdio Raposa

Postalinho espanhol (2)

"Em Espanha, os dentistas são bem malandrecos.
Este é de Benavente".
Paulo M.




21 Agosto 2014

Motosutra - o kamasutra das motos



E para quem precisa que se lhe faça um desenho:

Postalinho espanhol (1)

"Adão, Eva e a serpente num dos capitéis da porta principal da igreja de Santa María del Azogue, em Puebla de Sanabria.
Repare-se no detalhe precioso da serpente a falar ao ouvido do Adão (deduzo que não seja a Eva, mas não é muito claro quem é quem).
No painel explicativo à entrada, referem ainda que a igreja foi iniciada no século XII mas tem, do século XIII, uma «pila bautismal»."
Paulo M.



Casal a fazer 69

Pequena estatueta em barro vermelho com casal a praticar 69, com a mulher em cima do homem.
Peça das Caldas da Rainha, oferecida pela Suzana Redondo.





Visita a página da colecção no Facebook (e, já agora, também a minha página pessoal)

Uma definição para o DiciOrdinário