15 março 2017

Prazer de amante

Prazer de amante, é a fuga, é a rapidez é a falta de lucidez.


Certo ou errado, a vontade de te saborear, de os meus lábios tocarem todos os centímetros da tua pele, é mais forte. Mais forte que tudo. Estás aí? Eu, aqui, te espero, de lábios rosados, pele quente a arder por ti. Rende-te a esse ímpeto e apanha o vento em minha direção. Não deixes que nada estrague o momento, a dita eternidade que dura o tempo que durar, a pureza do desejo, o pecado do prazer que um amante dá. De corpo e alma, no nosso eterno, no nosso momento, no nosso abraço, no nosso cheiro que se funde um no outro. Beija-me, do pescoço, aos pés, passa as tuas mãos em mim, em todo o sítio proibido que tem saudades de ti. És tu, que me dás a incondicionalidade pouco duradoura e tão explorada do momento do prazer máximo. 

1 comentário:

  1. Quando escreves (e te fotografas), é sempre um calorzinho bom.

    ResponderEliminar

Uma por dia tira a azia