02 dezembro 2017

«deita-te a meu lado» - Susana Duarte

deita-te a meu lado,
e fala-me da transcendência. diz-me
onde residem


os poemas, e revela-me a luz de outrora.

deita-te nos meus braços,
e fala-me da saudade. diz-me
onde reside a sede, e a fome,

e a vontade de ser abraço, poema
inscrito num braço,
que me prende e segura. conta-me
dos dias sonoros,
e da velocidade dos movimentos
dos dedos, quando, maravilhados,
inscreveram em si próprios
o poema. deita-te a meu lado,
e reencontra, no corpo que se arqueia,

as palavras que procuras.

e fica. fica a meu lado,
e revela-me as ondas da paixão,

os olhares que desnudam, e a alegria
de se ser
onde o poema se inscreve

na carne.

deita-te a meu lado,
e fala-me da transcendência.

Susana Duarte
Blog Terra de Encanto
Facebook

Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia