14 dezembro 2018

#portasetravessas - Ruim

Bater em mulheres - apesar de fácil - não tem piada nenhuma. Hoje em dia é crime público, mas durante bastante tempo era uma coisa *não sei dizer isto sem soar mal* aceitável. Não me interpretem mal. Sou totalmente contra, por muita razão que se tenha. O que acontecia é que os homens levantavam a luva, maquilhavam a senhora a custo zero e depois tornavam todos cúmplices com a cantiga do "foi contra uma porta!". Ora, eu já fui contra portas e nenhuma delas me deixou parecido com um guaxinim (quanto muito, ganhei um galo). Eu sei o que estão a pensar: estou a usar demasiadas comparações com animais!

"Ela foi contra uma porta!" e todos fingiam acreditar. Isto era mau por duas razões: a primeira é que todos sabiam o que tinha acontecido mas não podiam fazer nada e alinhavam naquele teatrinho de merda. A segunda - que considero a pior consequência de todas - era a difamação de todos aqueles homens de bem que viviam com desajeitadas de merda que iam realmente contra portas e andavam sempre de focinho partido. "Ela foi contra uma porta outra vez! diziam eles. Ninguém acreditava nestas vítimas casadas com destrambelhadas e eram logo metidos no mesmo saco que os abusadores.

Essas deveriam ter levado a sério.

Ruim
no facebook

Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia