11 dezembro 2018

«eis» - Susana Duarte

eis o despertar dos corpos
na improbabilidade de ser água

eis as manhãs raras, onde
as luzes anunciam as mãos
que, todavia, se apartam
dos braços e antecipam
madrugadas de raiva e suor


eis as mãos onde as águas
despertam as lágrimas ocultas

eis,finalmente, a dor,
que se prolonga onde as manhãs
de chuva nos devolvem ao mar.

Susana Duarte
Blog Terra de Encanto
Facebook

Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia