09 outubro 2019

«Intenso desejo» - Rui Felício

Cautelosamente, com os dedos trémulos, ele puxou devagar, quase sem lhe tocar no corpo, a ponta da túnica acastanhada que a cobria e lentamente fê-la deslizar para o chão.

Livro «Anatomia do desejo»
Simon Andreae, 2003, Campo das Letras - Editores
na colecção de
arte erótica «a funda São»
Afagava-a ternamente enquanto a tirava, como que a dizer-lhe que não tivesse receio, que ele seria meigo, doce, cuidadoso.

Era a primeira vez que um homem a despia. Sentia-se insegura, mas ao mesmo tempo o corpo humedecia-se, abandonava-se ao calor e ao toque das suas mãos.

Por baixo da túnica acastanhada, já mais frenético, quase impaciente, tirou-lhe a veste que ainda lhe escondia o corpo.

Não conseguia despegar o olhar daquela pele branca.

Não era já só imaginação! Ele agora sentia aquele corpo desnudo nas palmas das suas mãos, irresistível, parecendo convidá-lo a prosseguir.

Os olhos humedeceram, marejaram-se-lhe de lágrimas, antecipando o climax, os músculos retesaram-se contendo e prolongando o desejo de a ter plenamente.

Por fim, descontroladamente, penetrou-a em repetidos, rápidos e firmes movimentos.

Era doido por cebola picada…

Rui Felício
Blog Encontro de Gerações
Blog Escrito e Lido

Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia