12 agosto 2017

«Excerto do poema "Maçãs rubras", do livro Pangeia» - Susana Duarte

(...)

noites
brancas do sangue. corpo exangue sobre o leito azul. as rubras maçãs do sorriso
eram manhãs elevadas à eternidade dos corpos dos amantes. os sonhadores
serão sempre a caixa vazia da realidade, frugal, desnecessária, risível, do leito

vazio.

Susana Duarte
Blog Terra de Encanto
Facebook

Excerto do poema "Maçãs rubras", do livro Pangeia, de Susana Duarte.
A publicar pela Alphabetum... em breve?!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia