08 junho 2018

«Sou fera, sou mulher e sou só de quem eu quiser!» - Cláudia de Marchi

Eu estava lendo, outro dia, um comentário de um macho broxante num post do meu blog no qual eu narrei um atendimento entediante. Ele, muito "inteligente" que deve ser, disse que o "desempenho modesto" do moço deveu-se ao fato de eu ser muito "bruta" e que ele prefere as "putas dóceis, afinal não precisa ser culta e feminista pra transar" (opinião do nabo em questão, como se eu quisesse saber a sua ideia sobre alguma coisa nesta vida!).
Ri litros com o analfabetismo funcional do cidadão posto que, a cada 10 encontros, 9,5 são ótimos e estão lá para serem lidos! Ademais, eu só trato grosseiramente os homens que não possuem sequer fineza e elegância na abordagem. Enfim, os que eu não quero receber e não recebo!
E a misoginia? "Dócil"?! Ah, olha bem pra mim e vê se eu tenho cara de cadela ou gata de rua para ser "dócil"!? Eu sou fera, sim! Mas, me torno uma doçura quando bem domada. O "problema", porém atine a qualidade do domador. Simples!
Deusmelivre ter cliente que me procura pelo servilismo! Se eu quisesse ser servil e dócil eu procurava um homem rico e casava para ser "bela, recatada e do lar". Deusmelivre (de novo)!

Simone Steffani - acompanhante de alto luxo!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia