25 abril 2019

«Enfim» - Áurea Justo

Folheia minha alma
Desdobra cada pedaço com calma
Acaricia cada nó, cada traço
Observa a sua cor e a sua dor
Descobre como foi ao longo da minha vida, cada desembaraço
Como amei e acolhi o amor.

Enfim,
Folheia o meu peito e verás
Que o tempo não volta atrás
Que nunca existiu claustrofobia de sentimentos,
Pois vivi intensamente todos os momentos.

E em cada um deles
Ali estiveste tu,
Sempre presente, adiando o encontro.
Com as folhas em branco,
Daqueles que hoje são os meus poemas
Que nos conduz ao tão ansiado reencontro.

In Diário Da Minha Vida

Áurea Justo
no Facebook


Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia