05 abril 2019

#mindfuck - Ruim

Não é um assunto que se deva perder muito tempo a pensar, mas a verdade é que ninguém tem a total certeza que se masturba correctamente. Não se aprende na escola, em casa ou no ATL. Ninguém nos ensina a arte da auto-satisfação e, se continuarmos a perder mais tempo a pensar e a afundar-nos cada vez mais no buraco do coelho da Alice, não há nenhuma garantia que quando eu digo "vou bater uma" é o mesmo "vou bater uma" do gajo ao meu lado (isto não soou bem). Sei lá se "bater uma" para esse gajo é vestir umas jardineiras num espantalho e o violar? Não sei. Ninguém sabe. PORQUE NINGUÉM NOS ENSINOU, F#DA-SE. O meu pai nunca acabou de ler o Expresso e disse "enquanto a tua mãe faz o almoço, deixa-me ensinar-te uma coisa muito engraçada". Nenhum professor, educador, familiar ou até mesmo um padre me explicou como me devo masturbar. Como é que eu sei? Porque os meus colegas do 8° ano falaram nisso. Miúdos de 13 anos, esses génios do sexo que sabiam tanto como eu, mencionaram uma vez que se calhar era giro todos tocarmos na pila com a mão. E assim o tenho feito desde então, mas será que estou a fazer bem? Segui recomendações de seres humanos com o timbre de voz do Mickey e acreditei totalmente na palavra deles, meu povo. Filmes? Sim, podemos ir por aí. Mas eu também vi o Matrix e não é por isso que ando a dizer a todos que sou o "The One".

Eu acho que estou a fazer isto bem e tendo em conta a prática que tenho, acho que estou apto a dar aulas. Só não as dou porque não sei se estou a fazer bem.

Bom jantar.

Ruim
no facebook

Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia