19 junho 2019

No fundo sou um romântico que assinala as datas festivas

Todos os anos comemoro o meu analversário. No fundo sou um romântico que gosta de assinalar as datas festivas, como esta que marca o início da era do anal aqui para o Pacheco. Levo isso muito a sério e todos os anos saio à rua para encontrar uma mafarrica disposta a entrar nos festejos enquanto eu entro na sua pandeireta. Este ano foi relativamente simples pois o Chiado em dia de feriado é um regabofe de chona a pulular por atenção de uma pichota. Sento-me a beber a minha cerveja e assim que vejo aqueles quadris a andar, depressa percebo que está pronta para ser montada. Em menos de nada já tinha a magana de quatro no meu sofá, pronta para a festa rija do meu pincel. A rapariga proporcionou um analversário digno de registo mas no final estava toda orgulhosa por ter aguentado com o mítico Pacheco pelo rabo acima. Ora eu cá tenho uma reputação sexual a defender e não posso permitir que uma moçoila ache que levou com toda a grandiosidade do Pacheco rabiosque acima e sobreviveu para contar a história. Por isso apressei-me a explicar-lhe: “Ó princesa, escusas de estar de peito todo inchado que na verdade nem metade chegou a entrar”. Aqui ela aproxima-se de uma raiva difícil de explicar, que só conhece novos patamares quando lhe digo que ela devia era agradecer pois eu estava a ser cortês. Não correu bem: “Estavas a ser cortês? Estavas a sodomizar-me à bruta, o que tem isso de cortês?”. Curiosamente o facto dela ter estado a vir-se em cascata descontrolada de prazer com o rabo no espeto não veio à baila. Nem o ter-me pedido para a tratar por puta enquanto alojava o bajolo nas suas bimbas. Destas não deve ter ela dúvidas sobre o grau de cortesia. Mas pronto. Como sou um tipo com uma capacidade lógica notável, depressa percebi que a moça queria era poder dizer às amigas que tinha aguentado com o Pacheco e que o facto de ter usado apenas meio-tarolo a fez sentir diminuída e indigna. Por isso, puxei-a novamente para mim e dei-lhe o maior aviamento de que há memória, pelo menos esta semana. Até a sua pachacha suspirou no fim.

Patife
Desblogue d'Elite
@FF_Patife no Twitter

Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia