08 agosto 2019

«À Beira do Lago» - Áurea Justo

Naquela tarde soalheira e quente eu decidi ir até à beira do lago.
Silencioso e solitário era perfeito para mim.
O calor metia-se na minha pele e torturava-me os sentidos.
Sem mais demoras, molhei a minha pele quente com a água fresca e cristalina do lago transparente, brilhante, incrivelmente ondulante.
Vi o meu reflexo nas águas cristalinas e vi gotas de suor na minha face que rolavam pele sobre pele... em fio formando uma pequena cascata.
Lavei a cara... senti-me refrescar... que alívio!!!
Sem mais demoras meti-me na água até ficar toda embrulhada naquelas águas miraculosas... e senti-me melhor.
Deixei-me estar até me sentir fresca.
Quando saí estremecia... de prazer... agora por sentir as gotas frescas percorrerem o meu corpo... todinho...

In Diário de uma Hermafrodita
(Contos)

Áurea Justo
no Facebook


Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia