08 março 2019

Passarinhos


Podia a genética ter-me dado problemas nos dentes ou na tiróide, diabetes ou até cabelos brancos mais precoces mas o que essa ditadora me colou bem fundo na cabeça foi a imagem do meu pai.

Ainda hoje não fujo de desejar homens de barbas e aqueles olhos amendoados de cor indefinida, mais brilhantes que uma super lua, fazem-me uivar. Olho-o e sinto-me o sapal de Corroios almejando esse maçarico-de-bico-direito a bicar-me toda a carne e a introduzir-se nas águas em arrancos seguros de quem busca alimento, primeiro rápido e depois, devagarinho.

E só quero repetir aquele colchão de penas latejante, mais e mais, antes do dia da partida desta ave migratória barbuda.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia