22 julho 2017

«lavrarás o peito onde te florescem as mãos» - Susana Duarte

lavrarás o peito onde te florescem as mãos
e se dissecam passados reencontrados.

sob as mãos, lavrarás as novas auroras,
e os dias da carne que se inscreve no outro,
e no outro se adensa, refletindo o brilho toado
das húmidas gotas de orvalho que, antes,
nos caíram do rosto. lavrarás a terra
semeada nos seios de todas as madrugadas,
e os cabelos onde perdes as mãos e nelas
te reencontras.

podias escrever sobre o amor, antes de o reencontrares.

agora, escreves sobre os seios onde aprofundas
o corpo, na procura da eternidade possível
das manhãs.

na noite, procuras o encontro dos lábios.
é na minha boca, que lavras futuros.

Susana Duarte
Blog Terra de Encanto
Facebook

Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia