01 setembro 2019

«insaciáveis» - Susana Duarte

escrevo a sede sobre a pele,
onde desenhaste água e frutos.

não sei onde estás,
fendida a rocha de onde nasciam
as águas, e as manhãs
do corpo

(onde?)

escrevo a sede nos meus lábios,
e procuro a barca da aurora
que me prometeste.

a madrugada cessou
onde a água caiu sobre os ombros
(nus) de uma noite qualquer.

tu não voltaste,
deixando acesa a sede
e o fogo, a água e a noite,
a madrugada
e os ombros.

escrevo a sede sobre a pele
rarefeita, onde a água
se desvia e a noite
atravessa o ar

decomposto
das almas insaciáveis.

Susana Duarte
Blog Terra de Encanto
Facebook


Sem comentários:

Publicar um comentário

Uma por dia tira a azia